Chikago's Realm

O local que o velho Chikago coloca todas suas coisas

Tabula Rasa – Diário de Criação 12

Olá Clones!

Apesar da demora para colocar estes diários de Criação no ar, isso não significa que o trabalho está parado. Ao contrário! estamos com 2 Beta testes rolando, e muita coisa acontecendo.

Vocês querem saber o que está acontecendo? Clica ali em Leia Mais!

Muita discussão aconteceu em uma das mesas de jogo pq as pessoas não compreendiam em como funciona os suprimentos para alimentar dados. O pessoal compreendia de como funciona energia para o traje e ferramentas mas não como suprimentos alimentavam sobrevivência ou resistência.

O principio básico do sistema é: Tudo que vc faz gasta dados. Suprimentos e Energia abastecem dados. Sem dados você não consegue fazer nada que requeiram dados.

Assim, para ter forças para escalar, subir, investigar, correr, esquivar de uma fera Alien, é necessário dados de Sobrevivência e Resistência. E como conseguimos dados?

Se alimentando!

Mas, como funciona a comida em Tabula Rasa? O que os Clones comem?

Inicialmente pensei em algo assim:

Mas estamos em um planeta Alienígena, com fauna e flora completamente diferentes da nossa querida Terra. Então, como saber ou não o que comer? E se comer algo venenoso? Ainda bem que temos a Ciência! (e a ficção científica)

Uma das instalações que os Clones dispõe é uma Aquapônica, uma sala que mistura uma fazenda hipropônica com um tanque com criaturas marinhas, que se alimentam das plantas, ao mesmo tempo que seus “resquícios” alimentam as plantas, criando um ecosistema funcional. Estas plantas e criaturas, diretamente tiradas do Éden, se proliferam e crescem, abastecendo a aquapônica com material orgânico diariamente.

E este material orgânico é usado para os Clones comerem? Quase! Imagina se eu alimentasse vocês com folhas de palmeira e baiacús. Não ia ser legal né?

Por isso a Aquapônica possui um maquinário chamado ISSXpress. Fabricado pela empresa ISS Food Corp, de origem Indiana, ela é muito usada por colonizadores para tranformar matéria orgânica em uma pasta comestível, livre de doenças ou venenos, e puramente cheia de proteínas, carboidratos, sais minerais e até um pouco de gordura, ou seja tudo que é necessário para um Clone crescer bem e “feliz”.

O funcionamento é simples. Coloca-se matéria orgânica, liga-se a máquina e é só esperar ela selecionar, organizar, e manufaturar uma deliciosa comida!

O alimento sai em tubos, que podem ser abertos e comidos na hora, ou colocados nos Trajes de Proteção e o Clone pode comer em missão.

 

 

O Alimento, chamado pela equipe NovaTerra (não conte aos Clones), de Gosma Purpura, ou Gosma, é uma pasta de cores que variam de azul escuro a roxo, e alimenta, apesar do gosto esquisito de… papelão? Frango? Milho? Na verdade ninguém sabe o gosto na Terra. Mas os Clones não reclamam, afinal, eles nunca comeram nada diferente disso mesmo… Imagina se eles soubessem o gosto de um filé com bacon e purê de batata com queijo…

(Apetitoso, né?)

Assim, os Clones quando comem, reabastecem dados de Resistência para poder enfrentar os perigos do Éden. Quanto melhor, mais forte e mais resistente um Clone é, mais comida ele precisa, assim uma ração média daria ao um Clone 4 Dados de Resistência, enquanto uma ração pequena daria apenas 2 Dados.

 

Um dos grupos começou a pesquisar sobre como assar um pássaro que um deles capturou. Após algumas experimentações com fogo, decidiram voltar ao ISSXpress. Mas a Clone #4 tem certeza que consegue deixar a carne do pássaro comestível. Quem sabe o que vai acontecer?

 

Você! Quando jogar TABULA RASA!

 

Até a próxima!

 

 

Categories: RPG, Sem categoria, Tabula Rasa

Written by chikago

Nascido em 22/04/77, amado e criado por seus pais, avacalhado e presenteado com ótimos amigos, Jogador e Mestre de Rpg, Formado em Administração: Comex, separado, trabalha como assistente de DP nas horas comerciais, podcaster, escritor, game designer e sei la mais o que nas horas vagas e pai de um garoto maravilhoso.